Palhaço também conta histórias!
Neste blog você pode saber um pouco mais das nossas histórias vividas nos hospitais.

quarta-feira, 1 de abril de 2015

O Pezinho


Relato enviado pela voluntária Adriana (Palhaça Múrcia)




Sábado de carnaval, verão, sol a pino e um calor escaldante!!
Passávamos pelo corredor da UTI quando ouvimos uma vozinha que só resmungava, como se dissesse “éeeeee...”.

Somos palhaças muito curiosas e logos quisemos saber o que “era” afinal.
Entrando no quarto vimos uma mãe com avental e luvas que fazia cafuné num pequenino de poucos meses de vida...
Quem resmungava era o pequenino... “éeeeee...”

Dália e eu somos muito boas em resolver problemas alheios! E ali não seria diferente! Logo começamos a questionar a pequena criatura sobre o que incomodava...

Múrcia: “Sua mãe fez alguma coisa pra você?”
Bebê: “éeeeee...”
Dália: “Ai que chato, mãe!”
Mãe: “Mas eu não estou fazendo nada de errado!”
Dália: “O que ela fez está te incomodando?”
Bebê: “éeeeee...”
Múrcia: “É... foi a senhora mesmo! Ele não mentiria pra gente...”
Bebê: “éeeeee...”

O bebê estava incomodado, a culpa era da mãe e precisávamos resolver isso!
Olhando bem para o bebê, percebemos que ele estava usando fralda e meias...
Como assim, meias??? Estava um calor do cão!! Eu mesma estava quase gritando de raiva da minha meia calça que grudava nas minhas pernas!! Quando vi aqueles pés pequeninos, que certamente estavam acalorados, logo matei a charada!!!

Múrcia: “Só podem ser as meias!”
Dália: “Mas é claro!!! Com esse calor todo!!! Estou aqui derretendo!!”
Múrcia: “E a senhora ainda coloca meias no pobre coitado???”

A mãe sorriu e começou a tirar as meias do pequenino!
O semblante do bebê mudou... ele começou a movimentar os pezinhos e até os dedinhos, como se sentisse o toque do vento que o refrescava...

Aquela cena foi tão linda que Dália e eu fizemos uma composição musical em homenagem aquele momento!!

“♪ Meu pezinho, meu pezinho
Vou despir, vou despir
Pra ficar soltinho, pra ficar soltinho
E o vento sentir, e o vento sentir... ♪”

Foi lindo!!
Uma médica entrou no quarto neste momento sem entender nada e falamos pra ela que se ela tivesse qualquer tipo de problema era só chamar a gente, afinal acabávamos ali de resolver mais um!

E não parou por aí... porque como a mãe estava usando luvas para tocar o bebê, falamos pra ela que assim que ele dormisse, ela poderia tirar as luvas para também sentir o toque do vento!!
Alguns minutos depois encontramos a mãe no hall do 7º andar falando no celular... Ela estava sem as luvas e quando nos viu balançou as mãos, bem feliz, enquanto sentia uma grande sensação de frescor!!

E você? Precisa de alguma ajuda? Somos muito boas nisso!!!


2 comentários:

Guido R. Stacchini disse...

Trata-se do 7ºandar do GRAACC? Se sim... estávamos juntos lá... eu de Plantão pelo "Cantinho da PAZ"...... num lindo ensolarado Sábado de Carnaval. Abr4ços vocês são realmente ESPECIAIS.
Guido

Blog da OAI disse...

Olá, Guido!!
Este relato aconteceu no Hospital Menino Jesus. Mas certamente estivemos no GRAACC neste dia e também vivemos muitas histórias incríveis!!